Ficção – “NYX – A MAGIA DA NOITE” Capítulo VIII “Noite Maldita”

Noite Maldita

 

Nyx é uma das mais antigas divindades gregas. O seu mito surge com a Teogonia de Hesíodo, o mais antigo poeta grego e tão admirado quanto Homero , que retrata o nascimento dos deuses e deusas gregos. Nyx é conhecida como a deusa da noite e simboliza tanto a beleza noturna como a crueldade de uma divindade que profere maldições.

Esta ambiguidade faz com que seja adorada por bruxas e feitiçeiras que associavam a sua imagem com a fertilidade da terra que fazia brotar ervas encantadas que serviriam para as suas poções mágicas.

Nyx também era temida pelos deuses. Isto porque a deusa da noite conhecia o segredo da imortalidade. Além de ter o poder transformar um deus em mortal como fez com Cronos após ser destronado por Zeus que a respeitava, mas a temia profundamente.

Coberta com um manto negro ela percorre os céus sobe um carro puxado por quatro cavalos negros. Assim como Hades possui um capuz que a deixa invisível. Com este recurso poderia observar a vida sem ser notada.

 

A filha primogênita de Nyx é conhecida como Eris, a deusa que personifica a discórdia e o caos. A mitologia afirma que ela provocou a Guerra de Tróia ao semear a discórdia entre as deusas Hera, Atena e Afrodite. Ela, Eris, não era bem vista pelos habitantes do Olimpo. Sendo assim , não foi convidada para o casamento dos pais de Aquiles, o herói grego.

A deusa ficou furiosa e sentiu-se ofendida pela desfeita. Então, criou uma intriga ao lançar uma maça de ouro, o pomo da discórdia, no meio da festa onde estava escrito : para a mais bela.Isto provocou uma enorme confusão. Até que Zeus chamou Páris, princípe de Tróia, para decidir qual deusa seria a mais bela.

 

Logo,o princípe,.passou a ser assediado pelas deusas. Hera lhe ofereceu poder políco, Atena habilidades para sair vitorioso nas batalhase Afrodite lhe ofereceu Helena, a mulher mais bela do mundo e esposa de Menelau de Esparta.

II

 

Dante Virgílio buscou em sua memória e lembrou do conteúdo do artigo assinado por Beatriz Boulevard. Um detalhe interessante lhe chamou sua atenção. Em outra ocasião tentou acessar novamente aquele conteúdo, mas o texto já havia sido retirado do ar. Só que não levou isto em consideração.

 

Ainda se perguntava: o que isso tem a ver com a minha investigação? Ainda não havia encontrado o elo perdido que daria sentido ao que a repórter dizia. O artigo tratava claramente sobre mitologia.

Entretanto, Beatriz insistia que havia algo mais do que uma história sobre mitos e lendas. Segundo o seu discurso ela afirmava a existência de vampiros. E além disso, afirmava que estavam associados em uma seita. Esta ordem dos vampiros era na verdade uma sociedade secreta que cultuava Eris, a deusa do caos.

Em um primeiro momento era difícil digerir aquelas informações. Algo que sugeria não ter pé nem cabeça. Mas ela aparentava estar assustada com aquilo. Sua voz estava embargada. Parecia aflita. Como se tivesse cometido um pecado e precisasse se confessar para obter sua redenção.

 

Só que aquela história triste não acabava. Ainda tinha a questão da substância tóxica conhecida como elix ou elixina de origem ainda duvidosa que causava danos a sociedade.

O vício tirava a razão dos seres humanos que se tornavam reféns do medo e se tornavam cada vez mais violentos por causa da falta ou pelo excesso do uso desta substância.

 

Dante teve que sair do reservado. Pensou que fosse algum bêbado que estivesse esmurrando a porta que lhe garantia uma certa privacidade. Não tinha como saber o grau alcólico daquelas pessoas. Eram dois homens que trocavam socos. Não imaginava o motivo da briga. Também não precisou ser convidado para retirar seu time de campo.

 

 

_ Alô? Beatriz? Você está me ouvindo?

 

 

Ninguém falou nada. Não ouviu o som de nenhuma voz por meio do seu celular.

 

Tentei recapitular tudo o que havia absorvido. Será que isto fazia algum sentido? Um ser asqueroso, um cadáver redivivo, que tinha sede de sangue e se escondia em uma tumba. Um sujeito assim teria tudo para ser rotulado como repugnante.

Mas lembrei de um ditado popular que dizia que as aparências enganam. Também lembrei de um estratagema chinês que falava que atrás de um sorriso se esconde um punhal.

 

 

Desvendar o véu e revelar a verdade. A fantasia é um lugar onde podemos chegar pelas asas da imaginação. Mas o excesso de água no copo poderia transbordar e ao invés de matar a sede poderia provocar a morte por afogamento.

Será que não estaria lidando com uma ilusão? Não sei. Estou na dúvida. Entretanto, pressinto, que alguma coisa estranha está acontecendo

Anúncios

1 comentário

  1. Seus documentos sobre a Deusa Nyx são muito interesante….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: