Ficção – “NYX- A Magia da Noite” Parte III “A Queda dos Anjos” (Capítulo XIX – “Vampiros Empalados”)

Vampiros Empalados.

Há vários séculos Vladislaus hipnotizava multidões. Acumulou riquezas e
poder. Tornou- se um homem de negócios implacável. Sabia lidar com
números. Gostava de estatísticas. Chegou a pensar seriamente em ser um
banqueiro. Não havia espaço para os valores sociais do trabalho em sua
sangrenta filosofia. Gostava do fascínio que o dinheiro provocava nas
pessoas. Foi então que percebeu seu aspecto sedutor.

Vladislaus tinha algumas propriedades industriais e detentor de um
enorme capital. Preferiu seguir no ramo das finanças. Mas achou a
agiotagem mais interessante.

Então, décadas depois após ter ficado
milionário com a correção dos juros, recebeu como pagamento de uma
dívida o controle de uma concessão de um canal de televisão.


O glamour lhe seduziu. Foi mais ou menos nesta época que Cristopher
Lee passou a interpretar Drácula no cinema. Então, vislumbrado pelo
potencial da mídia, criou o seu império de comunicação. Passou a
exercer seu lado mais maquiavélico.

Ou poderíamos sugerir que quando
escreveu sua obra, “O Princípe”, Maquiavel tenha exercitado seu lado
mais vladivalesco?

Ele conquistou Devandra com um olhar. Amor a primeira vista. Foi o que
contou uma vez em um programa de televisão. Ela ficou encantada na
primeira vez que o viu.

Uma forte emoção. A menina exorcizada havia
crescido e se tornado uma linda mulher, sensual e atraente. Ela se
deixou envolver, talvez por sua carência afetiva, por aquele olhar
profundo e desafiador que parecia desnudar suas mais íntimas emoções,
assim como desvendar seu  próprio pensamento.

Ainda envolvida pelo encanto foi surpreendida com um presente.
Um mensageiro entregou-lhe uma caixinha. Imaginou que haveria uma linda
bailarina dançando lá dentro. Desviou sua atenção e foi surpreendida
com a visão que teve.

Ela tomou um susto. Era um diamante. Logo,
Devandra, se apaixonou por aquele homem misterioso.

Em contrapartida, teve o luxo, mas pagou caro com seu sofrimento.
Vladislaus era um marido ausente. Sempre ocupado com seus afazeres
malditos. Apesar dos mimos que recebia e das festas que patrocinava,
ainda sentia um vazio dentro de si.

Viciou-se em elixina e passou a ter amantes. Ela ficou desnorteada
quando se descobriu grávida de Udolfo. Mas, apesar do seu
temor,Vladislaus, permitiu que mantivesse a gestação da criança e após
o nascimento, por pura maldade, afastou a esposa do rescém nascido.

Ela ficou muito deprimida e passou a procurar pelo auxílio de Padre
Doveque. O exorcista ficou sensibilizado com a angústia demonstrada.

A mulher estava atormentada. Além disso,o marido não estava preocupado
com a sua libido. A luxúria passou a ocupar, em sua existência,a falta
que o afeto,o amor e o carinho faziam.

Mas quando falava sobre o seu
tormento não mencionava o nome do santo, somente sugeria o milagre.
Com o tempo a preocupação, do padre, foi aumentando. Nunca chegou a
comentar nada com Vladislaus, pois enxergava nele o empresário de
comunicção mais influente do mundo.


O quadro ” A queda dos anjos rebeldes” de Bruegel estava na parede.
Vladislaus admirava sua obra de arte. Ao longo dos tempos pode formar
sua coleção de arte.

Às vezes comprava, às vezes roubava. Gostava de
apreciar charutos enquanto saboreava a leitura dos escritos de
Flamínio de Luna que falavam sobre as diversas formas que um vampiro
pode adotar.

Aquela estética o agradava. Era como se fosse um conto de
fadas feito por uma bruxa malvada.
O quadro é sobre uma bataha sangrenta. A sensação é de horror. O bem
contra o mal. Vladislaus gostava de arte sacra. Eram como troféus.

Os ladrões sempre tinham, em suas mãos, trinta moedas de ouro. Bastava
aparecer com a relíquia.Mas esta atividade era como o seu passatempo.

A relíquia que buscava estaria dentro de alguma obra de arte sacra.
Inclusive, havia encomendado uma imagem de São Miguel. Mas ele nunca
mais teve notícias dos idiotas que ficaram de lhe entregar
a estátua do santo.

Ultimamente estava sendo assombrado por pesadelos. Eram terrivelmente
amendrontadores. Imagina o terror que deve ser um pesadelo de vampiro.
Ele perseguia o pintor Bruegel que fugia assustado.

Ele não queria
matá-lo. Mas sabia que se não cometesse o assassinato correria o risco
de Bruegel, em seu sonho sinistro, pintasse um quadro maligno onde
haveria um exército de vampiros empalados.

Anúncios

1 comentário

  1. lala

    cool

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: