Cibercultura – “O Beijo da Meia Noite na Minha Eletroalma” – Review do DJ Set de Swarup´s Brain

“O Beijo da Meia Noite na Minha Eletroalma”

Escrito por Carlos Pompeu

Consultei meu oráculo. Um artefato tecnológico que, ainda, cabia na
palma de minha mão calejada pelas areias do tempo. 4:26:32.

Na noite que logo se transformaria em mais uma manhã escaldante e ensolarada
encontrei todas as musas dos meus sonhos que me convidaram para
bailar.

 Como aventureiro da emoção não tive medo do desconhecido que
se escondia entre as sombras e o escuro da meia noite que beijava
minha eletroalma. Na tela de cristal líquido do meu smartphone
apareceu uma mensagem. Não consegui fazer a leitura. Sem querer
apertei uma tecla.

Tive a nítida impressão de ter sido levado para uma outra dimensão.
Uma voz distante mas familiar surgiu do outro lado da linha. Swarup( da banda THE FIRST STONE, de música eletrônica, bombando a pista do “PSY Trance)” https://tecnocibernetico.wordpress.com/2011/04/18/cibercultura-16/ , falou que estaria me esperando na porta do Club Fiction, na rua 87, nº
536 no setor sul, o bairro em que nasci e que já homenagiei em forma
de canção. Ainda encontrei com Zumbi e Xamã.

Zumbi, Swarup, Tecnocibernetico´s (Boris) Blogger e Xamã

A noite que até então
parecia um peixe morto, regado à cerveja e batata frita em algum bar
da orla boêmia de minha cidadadela, me atacou como um tubarão voraz e
definitivamente trucidou qualquer vaga ou remota lembrança do que
poderia ser um lamento ou mesmo uma ordinária tristeza.

Alienígena??? Mas é um mini disco voador, um compacto(rs)

O line up do Club Fiction era alienígena. Ou algo além do surreal.
Zumbi mandou um progressive trance que chacoalhou meu esqueleto e
remexeu N vezes com meu cerebelo. Ao  invés do tradicional 142-147
bpm, o impiedoso tocou algo entre 134 e 136 bpm.  

Assim, o dee jay,
preparou terreno para o LIVE de Swarup. Enquanto isso, lindas mulheres
dançavam ao meu redor.

The First Stone (Swarup, Gustavo e Zumbi) em Ação.

Uma indescritível sensação onírica.
Provavelmente em alguma galáxia distante a forma de vida daquele
sistema solar deveria estar bombando na pista.

http://www.youtube.com/watch?v=I5QZFaER1I4

 O indizível talvez
fosse a melhor palavra para descrever a emoção que desconfigurou minha
eletroalma.

Portanto, após uma chuva de asteróides e descargas elétricas de
supernovas pela imensidão do universo, senti por todo meu corpo que
dançava , a energia positiva que emanava do set  de Swarup que mandou
um Fullon clássico. Meu corpo foi trespassado pelo raio laser e a
magia  da música eletrônica me enfeitiçou.

Nenhum lábio suave e
feminino, encantador e doce como a nave mãe, de um espaço sideral
imaginário, pousou sobre os meus. Mas , sem dúvida, senti, com intensa
paixão, forjada pela força do amor, o beijo da meia noite das musas e
das ninfas  em minha eletroalma que celebrava a existência metafísica
do meu ser.

Não havia mais o vazio existencial de outrora, apenas meu espírito
repleto de boas vibrações. Então, me despedi de Caramashi, o anfitrião
da noite, sem mencionar o que todo mundo já sabe, que o Club Fiction,
de fato, é a melhor balada da cidade de Goiânia

 

Detalhe. Este texto foi postado anteriormente em, 09/07/2010,  http://www.pablomirans.com.br/blog/?p=819

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: