“A Cor Mais Púrpura do Rock”- A Fase Clássica por Carlos Pompeu

A Cor Mais Púrpura do Rock

Deep Purple na época de “Machine Head”

Nunca poderia imaginar que assistiria um show do Deep Purple na cidade que morava. A banda que embalou meus sonhos pré adolescentes  e que é considerada uma lenda viva do Rock. Eu morava no fim do mundo e precisava viajar muitos quilômetros para ver minhas bandas prediletas e ,como mágica, eles apareceram, no início do século XXI, diante dos meus olhos em cima do palco. Foi uma emoção indescritível. Ainda mais porque tenho uma relação afetiva com a cor mais púrpura do Rock.

Todas as suas formações e bandas que se originaram do Purple https://tecnocibernetico.wordpress.com/2011/04/25/a-cor-mais-purpura-do-rock-os-inventores-do-heavy-metal-por-carlos-pompeu/  tocaram e ainda tocam diretamente no meu coração. A batida, o peso, a melodia e os solos de guitarra. Ah, os solos de guitarra mereceriam um capítulo à parte. Este seria chamado e dedicado ao mestre Blackmore. Na fase clássica, do “Machine Head”, era acompanhado pelos vocais, espetaculares, de Ian Gillan, pela pulsação do baixo de Roger Glover, pelo ritmo intenso da bateria de Ian Paice e pelos teclados de John Lord.

 

Anúncios

2 Comentários

  1. flavio ramalho

    valeu….

Trackbacks

  1. “A Cor Mais Púrpura do Rock” – “Há um Pote do Ouro no fim do Arco Íris” por Carlos Pompeu « Tecnocibernetico's Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: