Resenha Livro – MUNDO PERDIDO de Patrícia Melo

Resenha do livro “MUNDO PERDIDO” de Patrícia Melo, publicado pela Companhia das Letras.

por Carlos Pompeu

Já tinha lido O MATADOR, na época do lançamento, em 1995, se não me engano li no ano seguinte e logo me apaixonei pela prosa de Patrícia Melo. A leitura flui e você, enquanto leitor, embarca na ficção. Muito empolgante. Tanto é, que após essa leitura fui em busca de ACQUA TOFFANA, sua estréia literária, e ainda acompanhei o lançamento de ELOGIO DA MENTIRA.

Patrícia Melo

Inclusive, enquanto escritor de primeira viagem, fiquei bastante impressionado. Escrevi alguns contos com essa temática em que a trama gravita na órbita da violência. Enfim, depois a vida nos levou cada qual para seu canto. Mas a literatura de Patrícia Melo não perdeu seu encanto.

 Então, a reencontrei um bom tempo depois nas páginas de MUNDO PERDIDO,de 2006, também publicado pela Companhia das Letras http://www.companhiadasletras.com.br/ . Esse livro é , praticamente, a continuação de O MATADOR, que é a história de Máiquel , o personagem do título.

 A obra gerou um filme, chamado O HOMEM DO ANO http://www.youtube.com/watch?v=MXNXbaG1Xks , de 2003, com direção de José Henrique Fonseca, que vem a ser o filho de Rubem Fonseca que , por sua vez, assina o roteiro. Aliás, a literatura de Patrícia Melo tem forte influência de Rubem Fonseca, autor de O SEMINARISTA, O CASO MOREL, AGOSTO, A GRANDE ARTE  entre outros. Pois bem, agora em MUNDO PERDIDO, Máiquel perdeu tudo que havia conquistado com sua empresa de segurança.

 Dez longos anos se passaram. Mas a maldade ainda está em sua alma. DE uma certa forma Máiquel representa todo nosso mal cotidiano, aquele que já está inserido em nossos costumes, uma prática que ocorre no mundo que por isso, como sugere o título, está perdido em meio a tanta violência.

Rubem Fonseca

 Agora, depois da perdição, vai em busca de sua filha, Samantha, de dez anos, que chama o pastor Marlênio de pai. Detalhe, foi o tal que o denunciou para a polícia e fez sua casa cair. Além de tudo ainda levou Érica, sua cara metade. Ela não era a mãe de sua filha, mas junto com Marlênio criaram uma fortuna com sua igreja evangélica e agora estavam na mira de Máiquel.

 A trama é eletrizante, cheia de reviravoltas. Máiquel saiu viajando pelo Brasil adentro em sua busca. Para saber o paradeiro de sua filha contrata um detetive particular e o bicho, literalmente, pega.

Máiquel interpretado por Murilo Benício

Máiquel , nesta nova desventura, já não usa mais os cabelos louros. Foi melhor descolorir para chamar menos atenção, afinal agora não era mais o homem do ano, mas apenas mais um foragido da lei. Tudo indicava que havia chegado ao fim do poço, mas sua trilha de sangue continua. Segue adiante por meio de subornos e muita violência.

Às vezes ingênuo e doce, a ponto de se afeiçoar a Tigre, um cão viralata, que se torna seu fiel companheiro. Apesar de estourado, parece ser um cara legal, que, apesar da sombra da morte,  sempre cativa uma alma feminina. Divani, Eunice, Lúcia, algumas delas,  se encantam com seu estilo homem mau sexy. Apesar de ainda haver uma faísca da paixão por Érica, agora uma conceituada bispa da igreja do Pastor Marlênio, o homem que Máiquel não quer ver pintado de ouro.

Na sua caça, o matador, cruza o território brasileiro, se virar película renderia um ótimo road movie, passando inclusive pela Bolívia. Antes, Máiquel, foragido há mais de 10 anos, se vê às voltas com novos assassinatos como o de um policial, o que só dificulta ainda mais sua situação. A polícia está na sua cola e vai se esconder em um acapamento do MST http://www.mst.org.br/. Lá se envolve com Ana e desperta o ciúme de Osório, um dos líderes dos sem terra que não vai com sua cara.

Máiquel tem seu próprio código de conduta. Não acredita em nada , não tem medo de nada. O seu coração só amolece quando se trata de Tigre, o viralata que atropelou na estrada e , por isso, ganhou sua afeição. Máiquel não gosta muito de pensar. Muito menos de pessoas que falam muito e o forçam a pensar. Ele é do tipo que na dúvida prefere matar. E o rastro de cadáveres que é sua trágica vida só aumenta.

Leitores na mira de Patrícia Melo

Interessante é que Patrícia Melo nos relata ,com sua linguagem ágil e de fácil degustação, afinal somos tragados por um drama,  de um homem em conflito, no caso um matador . Apesar da intimidade, o romance é narrado na primeira pessoa, ou seja, pelo próprio Máiquel. As coisas simplesmente acontecem e logo outro corpo aparece sem vida.  Assim, somos cúmplices. Vivenciamos os dilemas de Máiquel. Com ele não tem perdão, vai direto para o caixão.

A narrativa favorece o personagem que de uma certa forma cativa o leitor. Chega a despertar bons sentimentos, algo como a síndrome de Estocolmo, aquela em que o refém se encanta pelo sequestrador. Mas isso é mérito da autora. Ela nos faz observar o homem, apesar de toda sua maldade, no fundo torcemos para que tudo se acerte. Entretanto, Máiquel tem sua sina. E pelo visto, com seu currículo, é difícil, para não dizer impossível, que tudo termine numa boa.

O final só poderia ser, mais uma vez, trágico e fica em aberto como no romance anterior. Isso sugere que o mundo está mesmo perdido e que Máiquel ainda deve aprontar das suas. Tenha cuidado, o matador está a solta nesse mundo perdido.

Anúncios

1 comentário

  1. O filme O Homem do Ano se diferencia de filmes como Cidade de Deus e Tropa de Elite por mostrar a transformação de um cidadão comum em assassino, e não mostrar apenas a violência gratuita por trás de uma história. É triste ver tantos filmes brasileiros sem noção por aí e obras como essa paradas. Tenho esperança de algum dia ver uma continuação de O Homem do Ano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: