Planeta dos Macacos – A Origem de uma Série de Filmes

planeta-dos-macacos_original

Até o Jota Quest já tirou casquinha com o Planeta dos Macacos https://www.youtube.com/watch?v=0tGb1jHjiTk . Tudo começou com um livro escrito pelo francês Pierre Boulle, tendo sido publicado em 1963. Deve ter causado um alvoroço, tanto que logo seus direitos foram vendidos e no final dos anos 60, Charlton Heston, uma espécie de Arnold Scharwrzenegger da época, em termos de popularidade, protagoniza a película. Interessante é saber que o livro gerou vários produtos como filmes, séries de TV e desenho animado.

Apesar do relativo sucesso ao longo dos anos, a franquia, em seu original, tinha uma característica mais nonsense. Um casal em férias em um cruzeiro espacial descobre uma mensagem em uma garrafa. Isso nos faz lembrar daquela história da garrafa jogada ao mar. Pierre Boulle, com certeza, deve ter feito esse link.

planet-of-the-apes-group

Trata-se de um diário de bordo de um astronauta que acredita ser o último dos seres humanos e seus relatos contam o que aconteceu para que chegasse à essa conclusão. É inevitável não ligar o autor , francês, ao seu conterrâneo Júlio Verne  https://tecnocibernetico.wordpress.com/2011/03/31/jules-verne-o-pai-da-ficcao-cientifica/

. Supõe-se que tenha sido influenciado pelo mesmo. Assim, como teria sido, influenciado, por H.G. Wells https://tecnocibernetico.wordpress.com/2011/05/11/resenha-livro-%E2%80%9Ca-maquina-do-tempo%E2%80%9D-por-carlos-pompeu/ . Deste último pega emprestado a Máquina do Tempo, peça fundamental de sua trama, pois é a partir dela que o astronauta viaja pelo espaço. Outro detalhe, esquecido pelo cinema, é a figura do professor maluco que cria a tal máquina. Esse personagem décadas depois surge em De Volta Para o Futuro, como o Doutor Emmet Brown. Enfim, Marty McFly à parte, trata-se de outro filme.

De volta ao Planeta dos Macacos, como cantou Rogério Flausino, então, no filme de 1968, chegou-se a conclusão que não havia tecnologia suficiente para reproduzir na tela o que estava no livro. Os macacos de Boulle viviam como os humanos do século XX. Portanto, foi criado um clima futuro primitivista, talvez a grande sacada do filme. Com o sucesso da bilheteria foram surgindo continuações que nada tinham a ver com o original. 

planeta-dos-macacos-editada

Para estar por dentro do que aconteceu, sugiro assistir Cinescópio TV, em seu programa número 28 que aborda sobre a cronologia da série https://www.youtube.com/watch?v=OKQ5SerUSvY . O único detalhe que não concordo é sobre o fato do livro ter sido comprado os seus direitos antes da publicação. No entanto, a publicação é de 1963 e o filme foi lançado em 1968. Interessante é saber que o seriado de TV não teve grande receptividade por parte do púbico e só teve uma temporada de 13 episódios que deve ter sido repetido à exaustão.

Em 2001, Tim Burton assinou sua versão. Com Mark Walberg como protagonista. Gostei, mas a bilheteria foi pífia e engavetou o projeto, que retornou com “A Origem” dirigido por Rupert Wyatt e com James Franco. Um bom filme. O que não consegui observar na continuação, “O Confronto”. César, por exemplo, já é, de fato, o líder dos macacos, mas seu desenvolvimento linguístico fica meio que parado no tempo. O filme ainda conta com Gary Oldman, mas fica devendo na parte da ação. Já foram dez filmes produzidos e dependendo da renda de “O Confronto” poderemos ter uma nova produção sobre os símios humanóides.

 

Anúncios

1 comentário

  1. Maravilhoso o site! Estou lendo bastante coisas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: