Arquivos de Categoria: poesia

“Candabul”

“Candabul” ( Boriska Petrovna) Ofélia, uma bela e formosa moça, a todos encantava com sua beleza, morava, com seus pais na Quinta de Don Álvaro, em uma residência rústica, onde cultivavam uvas. Naquele ano, apesar do plantio, não houve colheita. Assim, Don Àlvaro preocupado buscou ajuda na paróquia, fizeram novenas e orações, mas não obteve resultado. …

Continuar lendo

Boris de Pedra – Cantando sobre O Livro dos Anjos

“Um anjo é uma ideia de Deus”, um sonho lindo que DEUS teve.  Boris de Pedra, eu mesmo, estava lendo “O Livro dos Anjos” de Sophy Burnham  http://www.sophyburnham.com/ e estou fascinado com a sua leitura. Tenho a nítida impressão, incrível, mas sinto no coração, que estou em contato direto com os anjos. A música, o rock, a …

Continuar lendo

” POEMA ESCURO” ( Eu Sou A Escuridão)

 Eu sou a Escuridão Por isso você não me vê Pouco importa se estou a sofrer                                         Ou se essa angústia me traz vontade de morrer Eu sou a escuridão que você não vê No vale das sombras, deprimido,amargurado e humilhado, eu caminho Com meus erros, com minhas mundanas paixões e, como rei dos tolos, minha coroa de …

Continuar lendo

Dia Nacional da Poesia, em homenagem ao nascimento de Castro Alves em 14 de Março de 1847

Hoje é o dia nacional da Poesia. Pois, foi nesta data,em 14 de março de 1847 , que “estreou” Castro Alves, o maior nome da poesia brasileira. A origem da palavra , poesia, vem do grego e significa criação.   “Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me vós, Senhor Deus! Se é loucura… se é verdade Tanto …

Continuar lendo

Poesia – “SOTURNO”

“SOTURNO “   Se Tudo É Obscuro  Mórbido Sem encanto   Tudo É Soturno E parece me abater Tudo é Tão Escuro Nas ruínas do meu ser   A profundeza da tristeza parece me envolver Em um abraço apertado que não posso conter Sinto a alegria que havia em mim se dissolver    Abrindo uma ferida …

Continuar lendo

Poesia – “ELEGIA”

“Elegia” Opaco, turvo e sombrio Triste, soturno e vazio Obscuro sinistro lamento Amargo, doloroso sofrimento Que me arrasta De forma nefasta Pelo desfiladeiro Da agonia o verso derradeiro desta minha elegia Emoção desvairante Entristece meu semblante Comoção que instiga Essa depressão angustiante Estou em apuros Tudo à minha volta é escuro Só há consternação Rancor, …

Continuar lendo

Poesia – “Caminho Nas Sombras”

“Caminho nas Sombras“ Depois que você decidiu Que era mesmo o fim Tudo em minha vida Ficou amargo ficou ruim De uma hora para outra o céu ficou nublado e começou a chover Você não sabe o tanto que isso me fez sofrer Sofri e confesso que a tristeza me detonou Me passou uma rasteira …

Continuar lendo

Poesia – “ENTRELINHAS”

“Entrelinhas” A lua parecia distante E sozinha Mas nas entrelinhas Existia uma emoção Tão forte Ou mais intensa que a própria Paixão Não sabia O que sentia Mas algo me dizia Que a intuição nos envolvia Um verso, Um poema, A emoção nos unia Por meio da poesia Pelo pensamento Que poderia ser um sentimento …

Continuar lendo

Poesia – “CÁPSULA DE CHUMBO”

“Cápsula de Chumbo” Em uma cápsula de chumbo Havia uma tragédia nuclear Dejetos tóxicos e radioativos Envenenando a água, a terra, o fogo e o ar Ninguém quis acreditar Que, em Goiânia, no coração do Brasil Poderia ocorrer um acidente similar Ao da usina de Chernobil Foi em algum dia do mês de setembro de …

Continuar lendo

Poesia – “POEMA VAZIO”

“Poema Vazio” Carlos Pompeu A sensação do vazio é terrível Algo inconcebível Para a razão que cede terreno à emoção Para o sentimento pequeno Que espanca a alma Com agitação, nervosismo Sem piedade e nenhuma calma Violência e impaciência O Vazio absorve e consome A alegria que se transforma na forma De uma melancolia Legítima …

Continuar lendo