A Menina que não gostava de Cor de Rosa e o Linguiçeiro da rua Arvoreedo

No livro “A Menina que não gostava de Cor de Rosa” de Boriska Petrovna e Cesar Luiz, faz citação ao caso do linguiçeiro, confira os fatos reais que foram relatados na obra literária.

José Ramos: O linguiceiro da rua Arvoredo

 

post publicado originalmente em http://noitesinistra.blogspot.com.br/2015/02/jose-ramos-o-linguiceiro-da-rua-arvoredo.html#.WfogQY-PIfM

Saudações amigos e amigas. Hoje eu volto a contar com a dica de postagem enviada por uma leitora, a nossa querida amiga Shéron Luiz. O tema proposto são os crimes cometidos por José Ramos, episódio que ficou conhecido como “O crime da rua Arvoredo”, ou mesmo “O linguiceiro da rua Arvoredo”, e que estremeceu Porto Alegre por volta de 1864.
Lembro-me de ter lido o livro O Maior Crime da Terra, do escritor e historiador Décio Freitas, na época em que eu cursava o ensino médio (final da década de 90). O escritor vasculhou os arquivos históricos de Porto Alegre, atrás de informações que pudessem confirmar a história que se contava de geração em geração. O escritor encontrou registros e alguns detalhes do crime, que ao longo dos anos ganhou o status de lenda urbana porto alegrense, e reuniu esse material no livro.
Segundo o historiador os processos relacionados ao caso estão incompletos, faltam folhas, sem contar que o material é todo manuscrito em português arcaico, o que contribui para dificultar o trabalho de quem tenta desvendar as historias dos crimes e de possível ato de canibalismo. E foi justamente o canibalismo que, segundo Décio Freitas, pode ter levado o caso a ser uma ferida dolorosa no seio da alta sociedade de Porto Alegre daquela época, e isso teria levado ao descaso no arquivamento de certas partes do processo.
O amigo e a amiga devem estar confusos, se perguntando o porquê de uma sociedade ter medo de revelar os segredos de um crime tão horrendo. Eu explico, José Ramos teria assassinado algumas pessoas, com o auxílio de sua parceira, Catarina Palse, e como forma de ocultar os cadáveres, usou a carne dos mesmos como matéria prima para confecção de linguiça, sendo que essa era vendida a muitos figurões da sociedade gaúcha.
Embora o blog Noite Sinistra já existe há um tempo considerável, eu sempre evitei falar desse assunto por alguns motivos. O mais importante desses motivos é que caso virou lenda, com muitas variações, portanto sempre haverão comentários retrucando a versão postada aqui. Certamente nenhuma das versões conhecidas para esse caso é de fato a verdadeira, que, como o historiador mencionado acima, relatou em seu livro, pode ter sido perdida ao longo do tempo e do descaso. Mas como a amiga Shéron solicitou o tema, eu acabei me mobilizando para escrever um pouco a respeito.

Os crimes da rua Arvoredo – Porto Alegre

No ano de 1864, as vésperas das animosidades da Guerra do Paraguai, Porto Alegre se espantava com um caso que chocante. Dois corpos são encontrados em um velho poço, nos fundos de uma casa simples. Os cadáveres pertenciam a um comerciante português e um caixeiro de 16 anos de idade. Ambos tinham a cabeça aberta por golpe de objeto cortante, possivelmente machado, e ambos haviam sido degolados. Para completar o cenário, junto a eles foi encontrado o cadáver de um cachorro, que os habitantes da cidade sabiam ser do caixeiro assassinado.
Durante as investigações a polícia chegou a José Ramos (algumas fontes afirmam que tinha 26 anos) e Catarina Palsen. Catarina era uma mulher nascida na Hungria, mas que falava a língua alemã e compartilhava dessa cultura, o que levou as pessoas a considerá-la de descendência germânica.
José é acusado pelo assassinato e Catarina acusada como cúmplice. Ambos são levados a júri e condenados. Esse poderia ser o fim da história toda, mas era apenas o começo de uma trama que desencadeou pesadelos e terror em meio aos porto alegrenses.
Anúncios

“Mundo Virtual”- Clique Enter para Jogar!”

Mundo Virtual- Clique Enter para Jogar!” é um romance de ficção de Carlos Pompeu (Boris de Pedra) lançado na versão E-book, disponível no site da Amazon, estando participando do Prêmio Kindle de Literatura. Trata-se de uma narrativa sobre hackers, crimes virtuais, além de outras histórias. Toda a ação é intermediada, ou sugerida, por meio de
computadores, smartphones, no rastro dos avanços tecnológicos que, mais do que nunca, fazem parte do nosso cotidiano.

 

Clique no link abaixo e acesse a página da Amazon:

https://www.amazon.com.br/Mundo-Virtual-Clique-Enter-Jogar-ebook/dp/B01LW2GNTN/ref=sr_1_1?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1473427071&sr=1-1&keywords=mundo+virtual+carlos+pompeu

Na trama, de “Mundo Virtual- Clique Enter para Jogar!”, a investigadora, do departamento de crimes virtuais, da polícia, Patrícia Lessa, está na cola do perigoso hacker Klaus Caos que planeja dar um golpe em uma fábrica de videogames, onde em uma conspiração,Téo Moretti, especialista em segurança digital, acaba se envolvendo, pois sua filha adolescente,em crise de identidade, se envolve emocionalmente com Klaus Caos pela internet.

“MUNDO VIRTUAL – Clique Enter para Jogar” é um romance de ficção, cheio de histórias, que tem sua trama acontecendo nos dias atuais. Aliás um reflexo do mundo em que vivemos, o mundo das relações virtuais. Uma rede de informação que, às vezes , é uma terra sem lei para os crackers, os hackers do mal. Mas, uma sensual e inteligente agente de polícia, Patrícia Lessa, está na cola dos piratas virtuais.

!!!

 

COMICZZZT! ROCK E QUADRINHOS: POSSIBILIDADES DE INTERFACE

q2
COMICZZZT!
ROCK E QUADRINHOS: POSSIBILIDADES DE INTERFACE

É possível a interface entre Rock e Quadrinhos? Quais foram e no que resultaram estas tentativas de interface? Existe HQ musical e música quadrinística? Para enfrentar estas questões, COMICZZZT! usa e abusa da Contracultura, capas de disco, Tubarões Voadores e todo o processo criativo por trás de Música para Antropomorfos, antológico disco-livro de Fabio Zimbres e Mechanics.

Se você perdeu o lançamento do dia 03/09, ou se já leu o livro e está com a cabeça fervendo de dúvidas e ideias, venha bater um papo com Márcio Jr. nesta terça, 29 de setembro, às 20h, na Fnac Flamboyant. É o ENCONTRO EM QUADRINHOS 6

METALLICA Especial 30 Anos – Rock in Rio

MEtallica

Metallica subiu ao palco por volta da meia noite de sábado. Tinha visto a apresentação deles, em 2011, no mesmo festival https://tecnocibernetico.wordpress.com/2011/09/26/metallica-ao-vivo-na-tv/ , na ocasião abriram com “Creeping Death” que dessa vez ficou de fora do repertório. Esperava mais do mesmo, ledo engano, porque dessa vez, foi muito melhor! Tocaram todos os clássicos da banda, faltou a já citada acima e “Jump in the Fire” https://www.youtube.com/watch?v=zxYANkoOWsE  , mas teve ótimo.

No entanto, incluíram “Seek and Destroy” https://www.youtube.com/watch?v=NUAdgt5Glk0 com na apresentação, em 2013, do mesmo festival, que faz arte do primeiro disco, o seminal “Kill Em All”. James Hetfied,Lars Ulrich, Kirk Hammet e Robert Trujillo estão em plena forma, fizeram um magnífico show com duração de 2h30m. Foi sensacional!! Um belíssimo espetáculo que deixou todo mundo enlouquecido com o poder do seu metal !!!

Além disso, os Metallica são super carismáticos, não há como não ficar fã deles. Entraram no paco com a torcida ganha e , simplesmente, arrasaram!!! Isso, por causa, dos mais de 30 anos surfando na praia do Power Metal. Alguns referem a expressão Trash Metal, para definir o som da banda.Enfim, eles estão em lena forma, não cogitam, sequer, uma turnê de despedida, inclusive, já estão confirmados para a próxima eedição, do Rock in Rio, em 2017. Sem dúvida, o Metallica está no rol das maiores bandas de Rock do mundo em todos os tempos!

GOJIRA- Especial Rock in Rio 30 Anos!

GOJIRA
GOJIRA

Gojira é uma banda francesa e se tornou uma grande surpresa do festival. Trata-se de uma paulada. A banda é formada por Joe Duplantier no vocal e na guitarra, seu irmão Mario Duplantier na bateria, Christian Andreu na guitarra e Jean-Michel Labadie no baixo. É Rockão de verdade, sem firulas, som pesado. Alguns classificam a banda como stoner rocker, também identificados com o progressive death metal. O termo Heavy Metal também lhes cai muito bem. O show deles foi demais, impecável, delirei com tanta energia. Valeu a pena!

QUEEN nos 30 anos do Rock in Rio!!!

queenimages (9)
O Show do Queen no Rock in Rio foi demais. Sem dúvida, tanto quanto o antológico show em 11 de janeiro de 1985, com o saudoso Freddie Mercury, no dia do aniversario de minha mãe, não assisti, fiquei com a mamãe no dia, que patrocinou minha ida ao dia 19 de janeiro onde tocaram Baby e Pepeu, Erasmo Carlos tentou subir ao palco, mas naqueles dia todos ueriam Whitesnake, Scorpions, AC DC e Ozzy Osbourne.

O Festival foi um divisor de águas para a cena pop do Brasil. Introduziu o Rock no contexto da mídia. Foi quando o Rock and Roll deixou de ter cara de bandido, como já dizia Rita Lee.

Tive agora a oportunidade de conferir, ao vivo, após 30 anos, tinha 14 na época, já sem Freddie, tendo a frente Brian May e Roger Taylor, o baixista John Deacon, em memória de Freddie, não sobe mais aos palcos, só gerencia , co os demais , a empresa.

queen2

Brian e Roger, realmente gostam do que fazem, fazendo tudo muito bem feito. Tirem o chapéu para os dois, off course!Eles têm o direito de ressucitar a banda, em um passado recente se uniram a Paul Rodgers, o ídolo de Freddie, mas houve uma grande batalha de egos, entre eles, e tudo não durou mais do que uma turnê. Os egos, dos rock stars , se chocaram. Então, a dupla foi buscar, o vencedor, no programa de TV , The Voice, o jovem cantor Adam Lambert.
queenfredp55532ltjus

Adam, por sinal um excelente vocalista, tem personalidade vocal própria, não imita Freddie, como se fosse um mero cover, nada disso, o menino é bom mesmo e impõe seu carisma e , simplesmente, detona ; inclusive, para o delírio do público, declarou seu amor à Freddie Mercury. Adam Lambert empresta seu timbre de voz, mais agudo, seu charme e simpatia, para junto, com Brian May e Roger Taylor celebrarem a memória de Freddie.

NEW YORK, NY - MARCH 06: (Exclusive Coverage) Brian May, Adam Lambert and Roger Taylor backstage before their Queen (Brian May and Roger Taylor) + Adam Lambert North American tour announcement at Madison Square Garden on March 6, 2014 in New York City. The tour kicks off on June 19, 2014 in Chicago. (Photo by Kevin Mazur/WireImage) *** Local Caption *** Brian May; Adam Lambert; Roger Taylor
Brian May; Adam Lambert e Roger Taylor

O show foi realmente incrível, a sintonia com Lambert é impressionante. Eles riem no palco, mostrando um clima alto astral da banda. Além disso, o novo vocalista, é super carismático, ficou fã de Ney Mato Grosso, e cativou o público com sua performance. Tanto Brian, quanto Adam arriscaram palavras em português para o delírio dos 85 mil fãs.

O show ainda contou com Rufus, o filho de Roger Tayor, que tocou bateria enaquanto o pai cantou “The Kind of Magic”, muito boa por sinal. Depois ainda rolou um duelo de bateristas , entre pai e filho, que foi sensacional!

O ponto mais emocionante foi quando Brian May cantou “Love Of My Life” que teve seus versos finais cantados por Freddie Mercury, que deu as caras no telão. Fiquei suer feliz com o show e surpreendido com o potencial vocal de Adam Lambert. “God Save The Queen“!!!